Nextios - Blog

Tempo de resposta: saiba qual a importância e como monitorar

Você já se frustrou ou perdeu a paciência com um site que demora muito para carregar páginas ou é tão instável que cai toda hora? Já pensou o quanto esse tempo de resposta pode ter o mesmo efeito nos clientes do seu site ou serviço?

Para um elemento tão importante da experiência digital, o tempo de resposta é muitas vezes deixado de lado por gestores que não entendem por que não estão convertendo e retendo mais em suas aplicações.

Não quer cair na mesma armadilha? Então leia tudo sobre o assunto neste post!

Por que ter atenção ao tempo de resposta de aplicações?

A popularização da internet seguida do avanço das plataformas mobile permitiu que empresas alcançassem públicos cada vez maiores pelo meio digital — seja em um simples site institucional, seja em um e-commerce ou mesmo serviços e plataformas online.

Uma consequência dessa facilidade maior de entregar aplicações pela internet ao público é que a concorrência se tornou mais acirrada. Nesse cenário, qualquer detalhe é vantagem competitiva.

O tempo de resposta é muito mais importante do que um simples detalhe. Esse indicador é a diferença de tempo entre o usuário tomar uma ação e receber o que espera. Esse é o tempo entre você clicar em um link de uma página e ela abrir; entre clicar na conclusão da compra e ver o pedido finalizado.

É um fator determinante para a experiência do usuário — um conceito cada vez mais importante para o sucesso de empresas na internet. Respostas rápidas tornam a navegação e a utilização de aplicações mais ágeis, fluidas e satisfatórias.

É um indicador simples de medir e de analisar — em busca dos culpados que causam lentidão e instabilidade. Talvez por ser algo tão direto, a sua preocupação com o tempo de resposta em um mercado de muitos gestores que não ligam tanto pode ser aquela ponta de vantagem que estava faltando.

Quais ferramentas você pode utilizar para fazer a medição?

Para conseguir solucionar problemas dentro da aplicação e ter um esforço metódico e constante na otimização desse tempo de resposta, você precisa, antes, ter como medir e definir o que é um bom resultado de performance.

Existem várias ferramentas gratuitas na internet que podem ajudar e ser incluídas na sua rotina sem custos adicionais. Veja quais são elas a seguir.

Uptime Robot

Uptime Robot é uma ferramenta completa, eficiente e simples para monitorar o tempo de resposta. Ele conta com planos pagos com mais recursos, mas na versão grátis já é possível fazer medições com intervalos de 5 minutos e registrar até 2 meses de dados para acompanhar essa evolução.

Pingdom

Pingdom tem a mesma funcionalidade de medição, mas conta também com monitoramento em tempo real do que os visitantes estão fazendo em um site/serviço. Esse é um indicador a mais para definir onde o tempo de resposta está sendo um gargalo da experiência e como corrigir.

Insping

Insping é mais focado. O negócio dele é fazer monitoramento simples e preciso de uptime, gerar relatórios importantes para sua estratégia e alertas para qualquer mudança de comportamento dos servidores e da aplicação.

Web Page Analyzer

Web Page Analyzer já é uma solução muito conhecida e utilizada para diversos propósitos — existe desde 2008. Além de ser totalmente grátis, a ferramenta cria tabelas muito relevantes, analisando por segmentos o HTML, os scripts, as imagens etc.

Quais dicas melhoram o tempo de resposta em aplicações?

Entendendo essa importância e medindo o tempo de resposta atual do seu site ou serviço, você tem as informações que precisa para começar uma estratégia de otimização.

Existem muitas formas de trabalhar esses indicadores, e cada caso vai exigir uma solução. A seguir, listamos as ações primordiais que estarão presentes em qualquer planejamento para reduzir esse intervalo. Confira.

Cruze informações de tempo de resposta com outros dados

O tempo de resposta vai apontar quais são as páginas que demoram mais para carregar e quais elementos estão freando a performance, mas não conta toda a história.

Para otimizar a aplicação de verdade é preciso acompanhar também o uso médio do visitante/usuário — como ele navega, quais links segue com mais frequência e como se guia dentro do site ou serviço. Isso vai fornecer dados mais ricos para se trabalhar em cima.

Reestruture a informação

Esse monitoramento dará as informações que você precisa para entender como a arquitetura da informação deve se apresentar na aplicação.

Talvez seja possível diminuir o número de páginas ou aglomerar melhor os dados em um só lugar; talvez usar mais textos em vez de imagens onde isso é possível ou trabalhar uma iconografia mais simples.

Muito do tempo de resposta tem a ver com o fluxo de utilização do usuário, ou seja, o caminho que ele percorre do início ao fim de sua jornada. Quanto menos curvas ele tiver, menos o tempo de resposta vai influenciar.

Otimize imagens

Em páginas que demoram a carregar, geralmente as imagens são as maiores culpadas. No entanto, você não precisa eliminá-las — imagens são boas para a experiência na maioria dos casos. Existem softwares e serviços hoje capazes de diminuir o tamanho delas sem perda perceptível na sua qualidade.

Pense na responsividade

Muitas empresas já estão adotando o mobile first em seus sites, lojas virtuais e plataformas online. Como a população está migrando para o uso desse formato, você tem que levar em conta o tempo de resposta em diversos cenários — tamanhos de tela, velocidades de internet etc.

Monitore o downtime

Pior do que um tempo alto de resposta é o usuário não ter resposta alguma. Todo site pode passar por períodos fora do ar (o downtime), mas os que têm mais sucesso são aqueles que limitam ao mínimo essas ocorrências. Para isso, é bom medir e acompanhar em tempo real o que está acontecendo.

Conte com uma boa hospedagem

Digamos que você seguiu à risca todas as dicas listadas aqui e otimizou ao máximo sua aplicação, mesmo assim, o tempo de resposta ainda é alto. O que pode ser?

Na maioria das vezes é culpa de um serviço de hospedagem ruim. Não adianta nada reestruturar o site se toda ação do usuário demora para viajar até o servidor e realizar a ação que foi solicitada.

Para não ter problema aqui, o que você precisa é de um fornecedor de boa qualidade, com infraestrutura estável e completa para suas necessidades. Ter esses servidores aqui no Brasil ou em localidades em que a tecnologia proporciona boa latência ajuda muito a diminuir a distância física entre seu cliente e sua aplicação.

Com todos esses pontos cobertos e sua preocupação séria com o tempo de resposta, um produto virtual, um serviço, uma loja ou mesmo seu site se torna mais atraente para o público, essa é uma vantagem competitiva obrigatória para quem quer ter sucesso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *